Blog Rica Perrone

logo
voltar ao blog

Conca

Existem várias formas de se avaliar uma negociação. A mais comum é pela simples relação custo/beneficio do contratante com  o contrato.  Mas na possível vinda de Conca ao Flamengo há mais do que isso. E o lado que quero tocar aqui é o do jogador.

 

Conca tem 34 anos quase. Uma cirurgia, uma carreira obviamente indo pro final e uma história de muito dinheiro e raríssimas conquistas.  Na verdade a única coisa que Conca conseguiu no futebol além de dinheiro foi a idolatria da torcida do Fluminense.

 

Nunca foi convocado, não tem a mesma relevância pro futebol que tem pro Tricolor. É um “caso Valdivia”, por exemplo. É muito bom jogador, mas vale X pro mundo, 2X pra torcida do Palmeiras. Conca é o Conca no Fluminense, e só.

 

Pode vir a ser no Flamengo? Pode. Dificil, até porque não tem mais aquela saúde, mas pode. E dificilmente será.  A questão é simples: Você, prestes se aposentar, tendo todo dinheiro do mundo, ostentando apenas a idolatria de uma torcida ao final de sua carreira, vai abrir mão justo disso pelo capricho de aceitar uma oferta?

 

Vale a pena pro Conca ser Flamengo e daqui 2 anos estar aposentado e significar “nada” pra ninguém sendo hoje o ídolo de tanta gente?

 

Por quanto? São milhões de reais que isso custa a você? Jogador de futebol, quando para, não tem mais nada.  E os que tem é porque entenderam algo além de uma conta corrente.

 

Talvez Conca entenda. Talvez não.   Mas aos 34 anos abrir mão da ÚNICA coisa que conquistou na carreira sem ser dinheiro é de um desprendimento que me assusta e incomoda.

 

Mas… Pro Flamengo, muito bom se vier. Joga muito. Ou jogava, não sei. Não vejo campeonato chinês.

 

Pra ele, honestamente, acho o risco mais desnecessário do mundo.

 

abs,
RicaPerrone