Blog Rica Perrone

logo
voltar ao blog

Bons de bola

selecao

Eu gosto de tática, de estrutura, time bem formado e treinado.  Vejo beleza nisso, como por exemplo gosto de ver o Grêmio e o Corinthians jogarem, seja com Romero e Fernandinho ou com Luan e Jadson.  Há beleza no bom jogo coletivo.

 

Mas a união dele com o talento é raríssima. Normalmente se recorre ao coletivo quando lhe falta individualismo. E quando sobra, o estrelismo atrapalha o coletivo.

 

A seleção de Time é muito interessante de se ver jogar. Eles jogam conforme o coletivo pede, mas todos eles tem o individual e usam. É muito difícil dosar isso na medida em que o Tite consegue.

 

As vezes perguntam “Porque William e Renato Augusto?”, mas é meio fácil ao olhar pro campo. Você não tem dois jogadores de meio com qualidade tão dispostos a cumprir a missão tática de jogar aberto o tempo todo como eles.

 

O time se encaixa e o faz com técnica.

 

A seleção pode ganhar ou perder a Copa, é parte do jogo.  O que ela não pode fazer nunca mais é perder a identidade.

 

Nós jogamos BEM.  Ganhamos e perdemos como todos, mas somos Brasil, jogamos BEM. E isso está resgatado.

 

 

abs,

Rica Perrone